Cooperativas agropecuárias participam de reunião sobre IN's 76 e 77


A Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado do Rio Grande do Sul (FecoAgro/RS) participou na última sexta-feira, dia 3 de maio, na Superintendência Federal da Agricultura do Rio Grande do Sul (SFA/RS), de reunião sobre as Instruções Normativas (IN's) 76 e 77, que determinam novas regras para produção e industrialização do leite. O evento teve a participação de autoridades e representantes de diversos entes da cadeia produtiva no Rio Grande do Sul.


Em seu discurso no início das atividades, o diretor-executivo da FecoAgro/RS, Sérgio Feltraco, lembrou que durante o debate sobre as novas regras ocorreram audiências públicas e acenos da necessidade de mudança e incremento de qualidade da produção, assim como da entrega de produto de qualidade ao consumidor. "Esta reunião trata de vida. Na cadeia da produção de leite temos a cadeia mais complexa do agronegócio, mas também a mais ativa", destacou.


Feltraco também salientou a preocupação das cooperativas, que têm um modelo de organização de empresa diferenciado de outros. Reforçou ainda que as IN's vão impactar diretamente o produtor, que é dono da cooperativa. "A cooperativa tem a preocupação de entregar leite de qualidade, pois de todo o leite do Rio Grande do Sul, 45% passam pelas cooperativas. Se nós precisamos avançar na qualidade e adoção de boas práticas, precisamos ter a sensibilidade de que isto se dê de forma gradual, principalmente nos aspectos após a implantação e especialmente no rigor da fiscalização que se dará após a entrada destas normativas", observou.


A reunião contou com palestras de fiscais do Ministério da Agricultura que apresentaram os novos parâmetros de qualidade do leite, especialmente em relação à Contagem Bacteriana (CPP) e a Contagem de Células Somáticas (CCS). As IN's vão manter as contagens bacterianas máximas de 300 mil unidades por mililitro e 500 mil células somáticas por mililitro para o leite cru refrigerado. Entretanto, a CPP para o leite cru de silo na indústria ficará em 900 mil ufc/ml antes do processamento.


Além disto, foi mostrado o Plano de Qualificação de Fornecedores, que está no artigo sexto da IN 77, que trata da assistência técnica para implementar as boas práticas na atividade láctea. Conforme a apresentação, será de responsabilidade da indústria buscar soluções para a assistência técnica por meio de instituições como Emater ou Senar ou então por meio de parcerias com os produtores.


Logo após, os palestrantes responderam as dúvidas da plateia e do público que acompanhou via redes sociais a transmissão do evento. As próximas rodadas do debate ocorrem nesta semana em Passo Fundo, no dia 8 de maio, e em Lajeado, no dia 9 de maio. Participaram também do evento membros das associadas CCGL, representando 16 cooperativas, além da Coperoque, Cotriel, Cotrisal e Languiru.

Posts Recentes
Procurar por tags